Hospital Eládio Lasserre promove palestra educativa durante campanha Novembro Azul

Home » EM DESTAQUE » Hospital Eládio Lasserre promove palestra educativa durante campanha Novembro Azul
Esta postagem foi publicada em 27 de novembro de 2018

O Hospital Professor Eládio Lasserre, localizado no bairro de Cajazeiras, em Salvador, realizou, na última semana, uma palestra educativa com o tema Prevenção do Câncer de Próstata e Novembro Azul: Se cuidar é Necessário. Pacientes, acompanhantes e colaboradores da unidade participaram da ação.

Com organização da equipe de Serviço Social e Enfermagem da unidade, o evento foi ministrado pelo coordenador de enfermagem da emergência, Gabriel Oliveira, e pela coordenadora de enfermagem do centro cirúrgico, Kátia Miranda, a qual abordou a importância do cuidado à saúde do homem e a desmistificação da doença.

Para o colaborador Celso Costa, o momento foi proveitoso. “Pudemos esclarecer muitos pontos que não tínhamos conhecimento”, contou.  “As dúvidas foram esclarecidas de uma forma simples, fundamentada e acima de tudo com bom humor”, acrescentou o colaborador Wesivaldo Rezende.

O coordenador de enfermagem da emergência, Gabriel Oliveira, falou sobre a prevenção do câncer de próstata, sintomas, fatores de risco, diagnóstico e tratamento. “A saúde do homem é culturalmente precarizada pelo estigma de provedor e herói. Ao propormos este evento, tivemos como objetivo desmistificar esta imagem e mostrar ao público presente a importância da visita periódica ao médico, da realização dos exames propostos a cada faixa etária e a cada comorbidade apresentada com o passar dos anos”, explica. “O homem precisa entender que não conseguirá ser o herói e ou provedor, se não estiver em pleno gozo de sua saúde”, destaca.

Novembro Azul

Conforme o Ministério da Saúde, o câncer de próstata, tipo mais comum entre os homens, é a causa de morte de 28,6% da população masculina que desenvolve neoplasias malignas. No Brasil, um homem morre a cada 38 minutos devido ao câncer de próstata, segundo os dados mais recentes do Instituto Nacional do Câncer (Inca).

Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, única forma de garantir a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce. Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 45 anos com fatores de risco, ou 50 anos sem estes fatores, devem ir ao urologista para conversar sobre o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como endurecimento e presença de nódulos suspeitos, e sobre o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico). Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal. Outros exames poderão ser solicitados se houver suspeita de câncer de próstata, como as biópsias, que retiram fragmentos da próstata para análise, guiadas pelo ultrassom transretal.

A indicação da melhor forma de tratamento vai depender de vários aspectos, como estado de saúde atual, estadiamento da doença e expectativa de vida. Em casos de tumores de baixa agressividade há a opção da vigilância ativa, na qual periodicamente se faz um monitoramento da evolução da doença intervindo se houver progressão da mesma.