Hospital da Mulher e SPM certificam participantes do projeto ‘RespeitaAsMina na Saúde’

Home » EM DESTAQUE » Hospital da Mulher e SPM certificam participantes do projeto ‘RespeitaAsMina na Saúde’
Esta postagem foi publicada em 20 de agosto de 2019

Profissionais do Hospital da Mulher receberam, nesta terça-feira (20), os certificados de participação no projeto ‘RespeitaAsMina na Saúde’. A ação didática pedagógica teve como objetivo sensibilizar, contribuir para o combate às desigualdades e discriminações de gênero, além de dar continuidade à promoção da equidade conforme as necessidades das pacientes do Hospital da Mulher, unidade referência estadual no diagnóstico e tratamento dos principais agravos que acometem a saúde da mulher.

A certificação foi entregue em evento com as participações do secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, e da secretária de Política para as Mulheres, Julieta Palmeira. Ele destacou a importância de um curso como esse no âmbito do Sistema Único de Saúde. “O SUS é igualitário e inclusivo. Então a gente sempre precisa ter um processo de educação, de modo que possamos tratar todas as pessoas de forma igual, sem nenhum tipo de discriminação”, afirmou.

Julieta Palmeira classificou como relevante a iniciativa de qualificação de profissionais em um tema tão relevante como a questão de gênero. “Essa ação pioneira, de discutir e aperfeiçoar profissionais em gênero, representa algo muito relevante para o estado”, pontuou a Secretária.

Realizado pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Saúde (Sesab), Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM-BA) e Hospital da Mulher, a ação iniciada em dezembro do ano passado, contou com quatro módulos. Os temas foram definidos por uma equipe técnica multidisciplinar, a qual elaborou um conteúdo programático passando por assuntos como humanização, cuidados paliativos para pacientes oncológicas, gênero, saúde para mulher, políticas públicas e sexualidade, além de violência institucional contra a mulher e Serviço AME – espaço de acolhimento de mulheres expostas à violência sexual.

Um dos profissionais certificados foi o encarregado de informática Tairan Andrade. Para ele a iniciativa é fundamental para aperfeiçoar o cuidado com as pacientes. “Mesmo eu não estando numa área que está lidando a todo momento diretamente com as pacientes, acho importante termos o conhecimento de como fazer de melhor forma o acolhimento”, disse.

Fonte: Ascom Sesab