HRSAJ reforça vínculo entre familiares e pacientes internados durante pandemia

Home » EM DESTAQUE » HRSAJ reforça vínculo entre familiares e pacientes internados durante pandemia
Esta postagem foi publicada em 17 de junho de 2020

Pacientes que dão entrada no Hospital Regional de Santo Antônio de Jesus (HRSAJ) com suspeita de Covid-19 (novo coronavírus) recebem assistência qualificada em fluxos estabelecidos exclusivamente aos casos.

Entre as medidas desenvolvidas, com o objetivo de assegurar a transparência dos processos e aproximar os familiares dos pacientes, o Serviço Social e equipe médica da unidade disponibilizam, diariamente, a partir das 15h, boletins médicos constando a evolução de cada paciente.

O contato entre os profissionais e familiares é feito via telefone. “Em entrevista realizada durante a admissão do paciente, o Serviço Social identifica quem são as pessoas que podem ser contatadas. Nesse momento, também é abordada a questão da transferência, quando o médico deixa a família ciente sobre a realização de regulação para Centros de Referência Covid-19 em Salvador, caso necessário”, explica o diretor médico do HRSAJ, Antônio Carlos Assunção Neto.

Todos os processos são realizados conforme protocolo estabelecido pelo Governo do Estado e obedecem a critérios técnicos definidos pelo Centro de Operações de Emergência da Secretaria de Saúde do Estado.

Humanização

Devido à necessidade de isolamento, o Serviço Social da unidade vem adotando estratégias para amenizar a saudade entre familiares e pacientes internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Com o apoio de equipe multidisciplinar, são realizadas atividades com a utilização de recursos audiovisuais, nas quais os familiares têm a oportunidade de escrever ou gravar mensagens para o paciente. “Estudos mostram que ao reproduzir mensagem ou vídeo feitos por um familiar próximo ao paciente, provoca-se um estímulo de valor cognitivo e emocional, contribuindo para minimizar a instabilidade emocional”, afirma a coordenadora de Serviço Social, Fernanda Macedo.

A acompanhante Maria José Vieira, de 50 anos, apoia a iniciativa. “Desde que a minha filha entrou na UTI, através desse trabalho dos boletins, a gente fica informado direitinho. A chamada de vídeo também foi muito boa. Gostei muito do trabalho que vocês vêm fazendo, porque aproxima a gente”, contou.

De acordo com a coordenadora do Serviço de Psicologia, Márcia Aquino, a iniciativa une qualidade do tratamento técnico à qualidade do relacionamento entre paciente, familiares e equipe multiprofissional. “Este contato com certeza gera impactos importantes na saúde emocional do paciente e também da família”, conclui.